quarta-feira, 30 de julho de 2008

supermassive black hole

Sabe quando você tá dentro do ônibus, sozinha com as suas músicas, olhando pela janela, completamente alheia as coisas a sua volta, viajando devagarinho, divagando pelos mais variados temas, os olhos embaçados, meio nublados, olhando sem de fato enxergar?

Então, não é engraçado o jeito como tudo, desde as coisas que alguém te disse na semana passada, até o que você comeu no café da manhã, passando pelas atitudes de adolescente burra e mal agradecida que você teve(tem ainda, eu admito) tomam uma nova perspectiva, e sempre aparece uma frase, uma palavra ou um gesto que se houvesse sido feito naquela hora teria feito uma diferença do cacete e tornado as coisas bem melhores? Não é rídiculo a forma como isso ecoa na sua cabeça por alguns segundos e desaparece, só pra dar lugar à próxima divagação sem sentido? Não é odioso como arrependimento e nostalgia andam de mãos dadas?

Não é ótimo escrever, escrever e não dizer nada?

Um comentário:

I like it rough.
Evitem delicadezas.